Wilson Montevechi Psicólogo em Campinas-SP

Psicólogo Wilson Montevechi em Campinas SP - Logo

O que a preocupação excessiva pode causar?

O volume de informação e responsabilidades que estamos imersos no mundo de hoje trouxe algumas demandas que precisam ser observadas com cuidado.

Uma delas é o sentimento de preocupação, sem motivo aparente.

É importante deixar claro, desde já, que essa é uma reação natural do corpo, também necessária para nossa sobrevivência.

Porém, quando ela começa a se manifestar de forma exagerada e passa a causar prejuízos na vida do indivíduo, é preciso reavaliar e, em alguns casos, até mesmo solicitar uma avaliação profissional para se certificar que não seja algo mais grave.

Diante disso, é fundamental entendermos o que a preocupação excessiva pode causar, se não for tratada.

Nesse artigo, iremos esclarecer essas dúvidas e aproveitarei para compartilhar algumas dicas que podem fazer diferença no seu dia a dia.

Leia até o final!

O que é preocupação excessiva?

Sabe quando você não consegue dormir direito ou ter boas relações interpessoais por causa de um problema que fica martelando em sua mente sem parar?

Então, isso é um sinal da preocupação excessiva.

Então, esse pode ser um dos primeiros sinais de que você esteja passando por um estado de preocupação excessiva.

Experimentar uma sensação constante de ansiedade por causa de uma questão que não consegue resolver, também é um sintoma da preocupação excessiva.

Por isso, esse fenômeno inquietante, que atrapalha o bem-estar do indivíduo, pode estar intimamente relacionado a um estado de estresse.

Condição que aumenta a liberação de hormônios como noradrenalina, cortisol e adrenalina, provocando uma série de reações no corpo.

Mas, é preciso lembrar novamente que, em certa medida, a preocupação é natural e saudável para o ser humano, pois ela é capaz de melhorar o seu desempenho em certas atividades.

No entanto, quando a situação fica fora de controle, é preciso repensar e considerar algumas mudanças!

Pois, isso não traz nenhum aprendizado e muito menos gera algo positivo e objetivo em sua vida.

Mas, talvez agora você esteja se perguntando o porquê nos preocupamos tanto e o que provoca esse sentimento.

Bom, é isso que veremos no próximo tópico!

Causas

Antes de descobrir o que a preocupação excessiva pode causar, é necessário entender o que está por trás desse excesso.

Compreendendo a gênese do problema, isto é, o que originou a questão, é possível reverter o quadro e desenvolver uma vida mais leve e saudável.

Entretanto, como o ser humano é complexo e diverso, as causas podem ser inúmeras.

Podemos nos preocupar em excesso por várias razões, dentre elas:

  • Ansiedade crônica;
  • Autoestima baixa;
  • Visão negativa e pessimista da vida;
  • Distorções cognitivas;
  • Sentimento de que tudo sempre vai dar errado;
  • Etc.

Entender como está o seu emocional é fundamental nesse cenário.

Até porque, você pode achar que está se preocupando demais, quando, na verdade, só está pensando em boas estratégias para solucionar uma simples questão.

Então, como saber se essa preocupação é normal ou excessiva?

Para entender melhor, precisamos analisar os sintomas envolvidos!

Sintomas

Quando a sua preocupação é tão grande a ponto de te paralisar, é sinal de que ela está ocorrendo em excesso.

Um indivíduo com nível de preocupação em um estado normal conseguirá realizar suas atividades diárias sem impedimentos.

E, quando ele se depara com um desafio pode até ficar triste ou um pouco estressado, mas não se deixará abater, pois logo procurará maneiras de superar o obstáculo.

Mas, quem fica apreensivo de modo intenso, pode apresentar alguns sintomas característicos, como:

  • Desmotivação e irritabilidade no trabalho;
  • Falta de concentração e perda de foco;
  • Baixa produtividade;
  • Medo de errar e de ser julgado;
  • Sensação de perda do controle;
  • Crises de ansiedade;
  • Conflitos interpessoais, originados pela sensação de estar sempre “no limite”;
  • Dificuldade de estabelecer limites entre a vida privada e profissional;
  • E, estresse constante.

É importante se atentar para esses sintomas, pois eles podem gerar graves consequências.

O que a preocupação excessiva pode causar?

Chegou à hora de descobrir o que a preocupação excessiva pode causar!

A pessoa que sofre desse mal não consegue realizar atividades simples do dia a dia, como por exemplo, fazer relatórios, entrar em elevadores, participar de reuniões, entre muitas outras coisas.

Vivenciar momentos prazerosos como ir ao cinema ou assistir uma peça de teatro, se torna um verdadeiro desafio para ela.

O medo de ser julgada ou achar que está fazendo tudo errado também é outro grande prejuízo.

Aos poucos, ela vai reduzindo o seu desempenho e se isolando cada vez mais do seu ciclo pessoal.

Por isso, a preocupação excessiva é algo que pode afetar drasticamente a vida do indivíduo.

Mas, nem tudo está perdido!

Existem formas de lidar com essa situação e reduzir a inquietação em excesso.

Como evitar a preocupação em excesso?

A fim de te ajudar a lidar com a preocupação em excesso separei, a seguir, algumas dicas que poderão fazer toda diferença se forem exploradas da forma correta.

No entanto, tenha em mente que para experimentar uma vida mais leve, saudável e sem grandes preocupações, você precisará rever seus hábitos.

Certamente, isso não será fácil, pois vai demandar de sua parte esforço e dedicação para mudar.

Mas, entenda que nenhuma mudança acontece da noite para o dia!

É preciso tempo e persistência.

Logo, tenha paciência consigo mesmo e respeite os seus processos.

Viva um dia de cada vez!

Dito isso, vamos às dicas!

1.  Abra mão do controle

Agora que você já sabe o que a preocupação excessiva pode causar, é hora de buscar meios para lidar com isso.

A primeira dica é abrir mão do controle, isto é, renunciar a vontade de querer controlar tudo e todos.

Tente entender que não se pode mudar o comportamento dos outros e a vida não é previsível.

Aprenda a aceitar as imprevisibilidades do dia a dia e se adaptar a elas.

2.  Mantenha o foco no presente

Pensar demais no futuro poderá desenvolver uma ansiedade e só lhe trará mais dor de cabeça.

Isso não significa que você não possa planejar o seu futuro, ou criar objetivos.

Pelo contrário!

Você deve sim se planejar, até mesmo para evitar imprevistos.

Mas, mantenha o seu foco no presente, vivendo no aqui e agora.

3.  Procure silenciar sua rotina

Silenciar a rotina significa tirar um tempo no seu dia a dia para se conectar consigo mesmo.

Os estímulos da TV, séries, internet e filmes podem até serem bons e divertidos momentaneamente.

Mas, para quem está muito preocupado, esses entretenimentos podem apresentar gatilhos mentais para agravar ainda mais a situação.

O ideal é procurar práticas de relaxamento, como a meditação, por exemplo, para desacelerar a mente e, assim, se preocupar menos.

4.  Busque auxílio profissional

Um profissional qualificado tem a capacidade de identificar o que a preocupação excessiva pode causar na vida de seu paciente.

Como cada indivíduo é único, com uma história singular, um psicólogo pode ajudar a pessoa em sofrimento a encontrar estratégias de solução que sejam mais adequadas para ela.

Além disso, na terapia, você tem a oportunidade de trabalhar sua autoconfiança, exteriorizar seus problemas e encontrar sentido para sua vida.

Caso tenha interesse, fique a vontade para marcar uma avaliação psicológica diretamente comigo.

Clique aqui para marcar sua sessão através do Whatsapp!

Terei o maior prazer em poder ajudar.

Ainda que seja muito difícil viver com toda essa preocupação, você não precisa enfrentar isso sozinho.

Obrigado por chegar até aqui!

Compartilhe com um clique!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Picture of Wilson Montevechi

Wilson Montevechi

Sou Psicólogo, Professor de Filosofia e Mestre em Educação! Utilizo a abordagem Fenomenológica –Existencial afim de oferece um diálogo profundo entre a Psicologia e a Filosofia, proporcionando uma maior conhecimento do Ser Humano em seus aspectos racionais e emocionais.

Picture of Wilson Montevechi

Wilson Montevechi

Sou Psicólogo, Professor de Filosofia e Mestre em Educação! Utilizo a abordagem Fenomenológica –Existencial afim de oferece um diálogo profundo entre a Psicologia e a Filosofia, proporcionando um maior conhecimento do Ser Humano em seus aspectos racionais e emocionais.

Aproveite e leia também!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se precisar, estou aqui!