Wilson Montevechi Psicólogo em Campinas-SP

Psicólogo Wilson Montevechi em Campinas SP - Logo

O que é e o que causa o TOC, Transtorno Obsessivo Compulsivo?

Conhecido como TOC, o Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma condição de saúde mental que traz sérios problemas para a vida do indivíduo.

Se não diagnosticada e tratada da forma correta, a pessoa com TOC pode enfrentar prejuízos em sua rotina, relacionamentos, trabalho e em diversas outras áreas da vida.

Por ser um transtorno grave, é necessário conhecer suas causas, sintomas, tratamento e todas as questões que envolvem a condição para evitar maiores agravos.

No entanto, é sempre importante salientar que o diagnóstico só pode ser feito por um profissional devidamente registrado.

Até porque, cada caso é um caso!

O artigo de hoje é a título de informação para você que pode estar sofrendo com esse problema ou conhece alguém que esteja passando pelos sintomas.

Diante disso, ao identificar os sinais, procure um psicólogo ou médico psiquiatra.

Recomendação dada, vamos ao conteúdo!

Boa leitura!

O que é transtorno obsessivo compulsivo?

O transtorno obsessivo compulsivo é um distúrbio mental que causa alterações tanto no pensamento, como nas emoções e comportamento.

Ele é caracterizado principalmente por pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos.

Na prática, o indivíduo portador do transtorno, é invadido por ideias recorrentes e persistentes, que culminam em atos de repetição.

O exemplo clássico desse distúrbio é uma pessoa que, ao sair de casa, por segurança, tranca a porta, mas volta repetidas vezes ao local para verificar se, de fato, trancou a porta, mesmo tendo a certeza de que a fechou corretamente.

Os atos repetitivos funcionam como um alívio para a ansiedade causada pelas ideias obsessivas que, na maioria das vezes, são sem fundamento.

Neste exemplo da porta, não basta à pessoa apenas trancar a casa por segurança.

Ela acha que, mesmo com portas e janelas fechadas e passadas à chave, alguém poderá invadir a casa, por isso, volta novamente à residência para se certificar de que tudo está protegido.

Qual a diferença entre obsessão e compulsão?

Por serem dois fenômenos que podem ou não acontecerem juntos, é importante saber a diferença entre eles para caracterizar o transtorno obsessivo compulsivo e identificar suas possíveis causas.

A obsessão no TOC é um pensamento persistente e recorrente que invade a mente do indivíduo, acontecendo, portanto, contra a vontade dele.

Simplesmente chega.

São ideias de que acidentes graves podem acontecer de forma brusca com pessoas queridas, de que a morte pode chegar a qualquer momento para si mesmo, de que as mãos podem estar infectadas a todo momento, entre outras situações.

Já a compulsão envolve os atos de repetição para aliviar a ansiedade que essas ideias causam.

Um jovem que acha que um acidente grave pode acontecer com a mãe, liga para ela frequentemente para saber se está tudo bem, então se acalma ao ouvir a voz dela.

Mas, não pára por aí, pois a ideia de acidente retorna à mente e ele necessita realizar a ligação para se tranquilizar, virando assim uma espécie de ciclo vicioso.

O comportamento compulsivo é sempre visto neste transtorno.

Já as ideias obsessivas podem não estar presentes, em um primeiro momento, principalmente quando se trata de crianças.

Uma criança de 4 anos pode lavar as mãos compulsivamente, mas sem explicar o motivo, dizendo apenas que se sente bem.

Diferente de um adulto, que pode justificar suas frequentes lavagens de mãos com a crença de estarem infectadas.

Quais são as principais causas do TOC?

Atualmente, não se sabe o que causa o transtorno obsessivo compulsivo de fato.

Mas, o DSM-V, Manual Diagnóstico de Transtornos Mentais, lista alguns fatores que podem desencadear a condição clínica.

Dentre eles, estão:

  • Abusos – sejam de ordem sexual ou física;
  • Negligência dos pais;
  • Traumas;
  • Intensa inibição na infância;
  • Experiências negativas.

Além disso, pessoas que contraíram alguma doença infecciosa na infância podem se tornar adultos obsessivos e compulsivos com a higiene pessoal.

Histórico de casos na família também pode contribuir para o desenvolvimento do transtorno.

Os principais sintomas e sinais do transtorno obsessivo compulsivo

A obsessão e a compulsão, isto é, pensamentos persistentes e atos repetitivos, são bem fáceis de observar em uma pessoa que apresenta o TOC.

Entretanto, esses dois fenômenos podem passar despercebidos em atitudes sutis.

Diante disso, confira os principais sintomas e sinais do transtorno obsessivo compulsivo.

São eles:

  • Excesso de higienização – Pessoas com esse sintoma são conhecidas como tendo “mania de limpeza”;
  • Contagem compulsiva – Contas nos dedos ou de qualquer outro objeto repetidas vezes;
  • Organização de coisas e objetos de forma muito detalhista e precisa;
  • Necessidade constante de verificação de um ato – Como verificar várias vezes se fechou a porta, por exemplo;
  • Pensamentos ruins que chegam à mente de maneira indesejada;
  • Pensamentos mágicos – O indivíduo acredita que pode mudar uma situação com a ritualização de seus atos;
  • Obsessão por poupar, acumular ou guardar.

Em alguns casos, a pessoa com TOC também pode se comportar de maneira agressiva, justamente pela ansiedade das ideias obsessivas.

Tipos de TOC

Existem vários tipos de TOC, categorizados em subtipos.

Mas, no geral, todos eles são divididos em dois grandes grupos, o transtorno obsessivo-compulsivo subclínico e o propriamente dito.

Confira, abaixo, as principais diferenças entre eles:

Transtorno obsessivo-compulsivo subclínico

Quem é diagnosticado com transtorno obsessivo-compulsivo subclínico apresenta obsessões e rituais que se repetem com muita frequência.

É notório o transtorno na vida do indivíduo.

Entretanto, todo o seu comportamento não atrapalha os dias do portador.

O TOC não traz prejuízos maiores e ele tem uma rotina dentro dos padrões de normalidade.

Transtorno obsessivo-compulsivo propriamente dito

Em contrapartida do subclínico, o transtorno obsessivo-compulsivo propriamente dito conta com pensamentos obsessivos de forma intensa que levam aos atos compulsivos como forma de alívio.

Pessoas diagnosticadas nesta categoria sofrem com a condição, enfrentando diversos prejuízos na vida social.

Como é o tratamento para o transtorno obsessivo compulsivo?

Por pior que seja essa condição clínica, o TOC tem tratamento!

O tipo de cuidado vai depender do grau do transtorno.

Mas, geralmente, o tratamento inclui intervenções psicológicas e medicamentosas.

O psiquiatra é o responsável pela indicação de medicamentos e o psicólogo pelo processo psicoterápico.

De qualquer modo, nenhum profissional pode ser negligenciado.

O transtorno obsessivo compulsivo é um distúrbio mental que pode trazer tristeza, ansiedade e até mesmo depressão!

Caso você tenha interesse em conhecer um pouco mais sobre a diferença entre esses três fenômenos, já publiquei aqui no blog um artigo completo falando sobre.

Aproveite e acesse o link aí acima para conferir!

Por fim, não deixe de procurar orientação profissional.

Se cuide antes que o problema se agrave!

Obrigado por chegar até aqui!

Compartilhe com um clique!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Picture of Wilson Montevechi

Wilson Montevechi

Sou Psicólogo, Professor de Filosofia e Mestre em Educação! Utilizo a abordagem Fenomenológica –Existencial afim de oferece um diálogo profundo entre a Psicologia e a Filosofia, proporcionando uma maior conhecimento do Ser Humano em seus aspectos racionais e emocionais.

Picture of Wilson Montevechi

Wilson Montevechi

Sou Psicólogo, Professor de Filosofia e Mestre em Educação! Utilizo a abordagem Fenomenológica –Existencial afim de oferece um diálogo profundo entre a Psicologia e a Filosofia, proporcionando um maior conhecimento do Ser Humano em seus aspectos racionais e emocionais.

Aproveite e leia também!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se precisar, estou aqui!