Wilson Montevechi Psicólogo em Campinas-SP

Psicólogo Wilson Montevechi em Campinas SP - Logo

O que é cyberbullying e por que você não deve ignorá-lo?

Vivemos numa era onde a internet acabou se tornando uma ferramenta indispensável para:

  • Comunicar;
  • Informar;
  • Entreter;
  • E, até mesmo educar.

Hoje, fazemos quase tudo online.

Porém, entre os tantos benefícios que ela trouxe, não podemos nos esquecer dos perigos que ela também abriga.

Um deles, que tem ficado cada vez mais presente na vida dos jovens, é o cyberbullying.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Unicef em cerca de 30 países, em 2019, um em cada três jovens relatou já ter sido vítima de cyberbullying.

A mesma pesquisa também revelou que um a cada cinco, desses jovens, deixaram a escola devido ao bullying virtual e a violência que sofreram.

Este dado alarmante evidencia a necessidade de começarmos a abordar este tipo de tema com mais seriedade e atenção, pois ele tem grande potencial de gerar prejuízo a saúde mental dos jovens.

Nesse artigo, você vai entender qual é a diferença entre o bullying e o cyberbullying, quais são os 7 diferentes tipos já conhecidos e como perceber se uma criança ou adolescente está sofrendo esse tipo de assedio.

Mas, antes preciso te explicar o que é de fato esse comportamento. Boa leitura!

O que é cyberbullying?

O cyberbullying é uma forma de assédio, intimidação ou agressão que ocorre o ambiente online, por meio de plataformas digitais, como redes sociais, mensagens instantâneas, fóruns, e-mails e outros canais de comunicação digitais.

Qual a diferença entre o bullying e o cyberbullying?

A principal diferença entre o bullying e o cyberbullying reside no meio em que eles acontecem.

Enquanto o bullying ocorre em ambientes físicos, como escolas, o cyberbullying manifesta-se no mundo virtual, através de redes sociais, e-mails, mensagens e websites.

Além disso, o cyberbullying tem um alcance muito maior, podendo se espalhar rapidamente e alcançar um número ilimitado de pessoas.

As vítimas de cyberbullying também podem ser atormentadas a qualquer hora do dia ou da noite, sem a possibilidade de um refúgio seguro, já que o bullying online pode ocorrer em casa.

Este tipo de bullying pode ser ainda mais traumático, pois a agressão é permanente e pública, sendo difícil de controlar.

O cyberbullying é crime?

Sim, é importante ressaltar que o cyberbullying é considerado um crime em muitos países, inclusive no Brasil.

Apesar de não haver uma legislação específica para tratar do assunto, o Código Penal Brasileiro consegue punir tais atos enquadrando-os em diferentes tipos de crimes, como:

  • Calúnia;
  • Injúria;
  • Difamação;
  • Ameaça;
  • Constrangimento ilegal;
  • Entre outros.

Portanto, se você ou alguém que conhece está sendo vítima de cyberbullying, não hesite em procurar ajuda legal.

A internet não é uma terra sem lei e os agressores podem, e devem, ser responsabilizados por suas ações.

Muito além do aspecto legal, é fundamental entender que o cyberbullying pode causar danos psicológicos sérios e, por isso, nunca deve ser ignorado.

7 Tipos de Cyberbullying

Existem vários tipos de cyberbullying que podem ocorrer em diferentes plataformas digitais.

Estes podem variar desde postagens maliciosas em redes sociais até mensagens ameaçadoras enviadas diretamente para a vítima.

É importante, portanto, entender quais são os principais tipos de cyberbullying saber diferenciá-los. São eles:

1. Calúnia

A calúnia é um tipo de cyberbullying que envolve a criação e divulgação de falsas acusações contra alguém na internet.

Nesse tipo de situação, os agressores geralmente inventam histórias prejudiciais ou difamatórias sobre a vítima, com o objetivo de danificar sua reputação e autoestima.

É importante ressaltar que, apesar do ambiente das ofensas ser virtual, as consequências geradas são muito sérias e podem causar danos psicológicos significativos às vítimas.

2. Difamação

A difamação, segundo o contexto do Cyberbullying, ocorre quando informações falsas são disseminadas na internet com o objetivo de prejudicar a reputação de um indivíduo.

É um tipo de agressão que não está relacionada apenas à expressão de opiniões pessoais, mas sim à propagação de mentiras que podem causar danos ao caráter e à imagem da vítima.

3. Injúria

A injúria é um dos tipos de cyberbullying que pode ser mais difícil de identificar, mas não menos prejudicial.

Ela ocorre quando alguém ofende a dignidade ou o decoro de outra pessoa, insultando-a diretamente.

No ambiente digital, isso pode acontecer por meio de mensagens, publicações em redes sociais ou até mesmo através de vídeos.

Embora a injúria possa parecer uma simples brincadeira para quem pratica, para a vítima, essa é uma situação que pode se tornar bastante dolorosa e gerar consequências emocionais graves.

4. Ameaça

Este é um ato onde o agressor faz declarações intimidatórias e ameaçadoras para a vítima, principalmente através de mensagens online ou e-mails.

Estas ameaças podem variar desde agressão física até ataques digitais como o roubo de identidade e a disseminação de informações pessoais.

A ameaça online pode ser ainda mais aterrorizante do que a física, pois geralmente o agressor se esconde atrás do anonimato que a internet proporciona.

Essa situação pode causar profunda ansiedade e medo na vítima, levando a sérias consequências para a sua saúde mental.

5. Constrangimento ilegal

O constrangimento ilegal acontece quando um indivíduo é forçado a fazer algo que não deseja, mediante coação ou ameaça.

No ambiente digital, isso pode ocorrer através de chantagens, como a ameaça de compartilhamento de fotos íntimas ou informações pessoais.

Este tipo de comportamento também é considerado crime, conforme o artigo 146 do Código Penal Brasileiro, estando o agressor sujeito a detenção.

6. Falsa identidade

A falsa identidade é uma das formas mais comuns e perigosas de cyberbullying.

Ela ocorre quando alguém se passa por outra pessoa na internet, seja para prejudicá-la diretamente ou para enganar terceiros.

A vítima pode ter sua reputação danificada, ser exposta a situações embaraçosas ou até mesmo ser alvo de chantagens.

Os jovens, muitas vezes, não percebem as consequências legais deste ato.

Podem achar que é uma brincadeira de mau gosto, mas na verdade, é um crime sério.

As consequências para o autor que pratica esse tipo bullying virtual podem ser graves, como processo judicial e sanções legais.

7. Molestar ou perturbar a tranquilidade

Este é um aspecto do cyberbullying que se refere a ações repetitivas e intencionais para perturbar a paz e a tranquilidade de um indivíduo.

Isso pode incluir enviar mensagens constantes, postar conteúdo perturbador ou negativo, ou até mesmo perseguir o indivíduo online.

A perturbação da tranquilidade pode trazer consequências emocionais duradouras para os jovens.

O estresse crônico causado por tais ações pode levar a problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.

Este é mais um motivo para que pais e profissionais da educação, principalmente, fiquem atentos e se esforcem para prevenir e combater o cyberbullying.

Sinais que podem relevar que o seu filho pode estar sendo vítima de Cyberbullying

Identificar os indícios de que seu filho está sendo vítima de cyberbullying é crucial para oferecer ajuda efetiva.

Muitas vezes, os jovens relutam em compartilhar suas experiências devido à vergonha, medo de retaliação ou preocupação com a reação dos pais.

Portanto, é fundamental estar atento a sutis mudanças de comportamento.

A primeira pista de possível cyberbullying é uma brusca alteração no tempo que o jovem dedica à internet.

Se seu filho passa consideravelmente mais ou menos tempo em redes sociais, jogos online ou outros ambientes virtuais, isso pode indicar um problema.

Essas mudanças podem ser possíveis tentativas de lidar com o cyberbullying.

Além disso, observe se seu filho apresenta sinais de ansiedade, depressão ou irritabilidade, especialmente após usar dispositivos eletrônicos.

Nervosismo ao receber mensagens ou notificações novas pode ser significativo.

Evitar falar sobre atividades online ou agir de forma secreta também merece atenção, possivelmente indicando tentativas de esconder algo.

Perda de amigos, tanto no mundo real como nas redes sociais, pode ser outro sinal de cyberbullying.

As vítimas de cyberbullying são muitas vezes excluídas por seus pares, o que pode resultar em perda de amizades.

Mudança no sono e perda de interesse em atividades que antes eram prazerosas podem indicar estresse emocional.

Embora esses sinais não sejam conclusivos e possam apontar para outras questões, uma combinação desses comportamentos sugere a necessidade de iniciar um diálogo com seu filho sobre cyberbullying e considerar ajuda profissional.

Como evitar e proteger os jovens do bullying virtual?

Para prevenir e proteger os jovens contra o cyberbullying, primeiro é importante reconhecer que o mundo online é uma extensão da vida real.

Nesse sentido, é crucial instruir os jovens sobre respeito e ética nas interações, tanto no ambiente virtual quanto no físico.

Iniciar um diálogo franco, e aberto, é apenas o primeiro passo.

Incentive a discussão sobre atividades online, demonstrando interesse, e respeito, em suas amizades e ações.

Isso ajudará a promover um ambiente de confiança, encorajando a partilha de experiências, inclusive aquelas mais incômodas.

Educação digital é primordial.

Alerte-os sobre os riscos, como exposição de dados e contatos com estranhos.

Explique que a internet abriga também muitos enganos e perfis falsos que visam prejudicar e tirar proveito de outras pessoas.

Reforce a privacidade online, ensinando a ajustar configurações de redes sociais e a cuidar das informações compartilhadas.

Ensine a recusar amizades de desconhecidos e a relatar condutas suspeitas!

É essencial que os jovens saibam buscar ajuda em situações de ameaça virtual.

Por isso, encoraje a conversa com você ou com adultos confiáveis sobre o cyberbullying.

Prevenção é sempre a melhor defesa.

Aproveitando o gancho, quero te recomendar um outro artigo aqui do blog onde comento mais a fundo sobre os impactos e como superar o vício em redes sociais. Você vai gostar!

Leia e me conte depois o que achou!

Obrigado por chegar até aqui.

Compartilhe com um clique!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Picture of Wilson Montevechi

Wilson Montevechi

Sou Psicólogo, Professor de Filosofia e Mestre em Educação! Utilizo a abordagem Fenomenológica –Existencial afim de oferece um diálogo profundo entre a Psicologia e a Filosofia, proporcionando uma maior conhecimento do Ser Humano em seus aspectos racionais e emocionais.

Picture of Wilson Montevechi

Wilson Montevechi

Sou Psicólogo, Professor de Filosofia e Mestre em Educação! Utilizo a abordagem Fenomenológica –Existencial afim de oferece um diálogo profundo entre a Psicologia e a Filosofia, proporcionando um maior conhecimento do Ser Humano em seus aspectos racionais e emocionais.

Aproveite e leia também!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se precisar, estou aqui!